Pesquise neste blog

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Iphan lança candidatura do Rio a Patrimônio Cultural da Humanidade

Votação acontece no próximo dia 30 em São Petesburgo, na Rússia.
Chancela da Unesco pode gerar políticas públicas integradas para turismo.

Alba Valéria Mendonça 
Do G1 RJ

Pôr do sol no Rio de Janeiro (Foto: Marcos Estrella/TV Globo)Cidade do Rio de Janeiro é candidata a Patrimônio Cultural da Humanidade (Foto: Marcos Estrella/TV Globo)
 
Em mesa redonda realizada na tarde desta terça-feira (12/06), o Instituto do Patrimônio Histórico Artístico e Cultural (Iphan) apresentou o dossiê de candidatura da cidade do Rio de Janeiro ao título de Patrimônio Cultural da Humanidade, na categoria paisagem cultural. A chancela da Unesco - que será votada em São Petesburgo, na Rússia, no próximo dia 30 - pode garantir à cidade a implementação de políticas públicas de gestão compartilhada entre os três níveis de governo (federal, estadual e municipal) para áreas de grande importância turística, como o Parque Nacional da Tijuca, o Passeio Público e a orla de Copacabana, do Leme, da Urca e de Botafogo, na Zona Sul.

Candidatura do Rio a Patrimônio Cultural da Humanidade foi lançada nesta terça (12) pelo Iphan (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1) 
Candidatura do Rio a Patrimônio Cultural da
Humanidade foi lançada nesta terça (12) pelo
Iphan (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)

Na apresentação, a superintendente do Iphan no Rio, Maria Cristina Lodi, destacou a importância da cancela da Unesco e os itens que fizeram da cidade uma forte candidata ao título.

"Áreas como o Jardim Botânico e o Parque Nacional da Tijuca já são geridas separadamente. Com políticas públicas integradas e qualificadas, a cidade ganha ainda mais importância aos olhos do mundo. Isso propicia não só à cidade manter seus elementos turísticos, históricos e patrimoniais, mas também chama a atenção para políticas sociais para se manter o valor da cidade", disse a superintendente.

Há cerca de dois anos, o Rio se candidatou ao título de Sítio Urbano Misto, que acabou não sendo aceito pela Unesco. O Iphan foi orientado então a valorizar as paisagens culturais. Como lembrou a diretora do Departamento de Patrimônio Imaterialdo Iphan, Célia Corsino, "o Rio é uma cidade conhecida nacionalmente até por quem nunca esteve aqui".

Destacar as áreas de natureza que receberam alguma interferência do homem foi o caminho escolhido para basear a candidatura. Entre as paisagens que integram o dossiê estão o Pão de Açúcar, o Aterro do Flamengo, o Jardim Botânico.

"Em nenhum outro lugar a relação entre o homem e a natureza é tão expressiva como no Rio. O carioca tem verdadeiro prazer de viver na cidade. Além disso, o Rio tem uma série de obras que representam o gênio criativo do homem em comunhão com a natureza, como os jardins de Burle Marx", avaliou Cristina. "A cidade tem valores percebidos por escritores, músicos e artistas, que em suas obras projetam a ideia do que é a cidade. E é isso que a chancela da Unesco vai valorizar para as gerações futuras", completou.

Ed. São Miguel, onde moraram Bandeira e Portinari


Ed. São Miguel, na Av. Beira-Mar (Castelo). Ali moraram dois ícones da cultura brasileira: o poeta Manoel Bandeira (de 1942 a 1968) e o pintor Cândido Portinari (de 1939 a 1944). Por morar ali, Bandeira recebeu o título de 'poeta do Castelo'. 


Foto: Leo Ladeira 

 

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Parque das Ruínas - Santa Teresa




Fragmentos de azulejos que resistiram ao tempo. 
Parque das Ruínas - Santa Teresa.
Foto: Leo Ladeira


terça-feira, 29 de maio de 2012

Grife catarinense é 'dona' de Drummond por horas

Deu na Coluna Gente Boa de O Globo de hoje, 29/05/12.

Um absurdo esses abusos de produtoras de vídeo, de TV, de comerciais...

E logo na estátua de Drummond, que tem até fila para fotos!

Que fizessem a foto com a atriz num dia de semana, de preferência bem cedo!

A preferência deveria ser sempre do cidadão!




Fonte da nota: Coluna Gente Boa (O Globo): 29/05/12.